Contagem terá licitação no segundo semestre e ar-condicionado na frota

Publicado em Ar-condicionado, Integração metropolitana, Integração tarifária, Licitação, Move Metropolitano, Tarifa, Terminais, Transporte urbano
Bruno Freitas/Faixa Exclusiva
Bruno Freitas/Faixa Exclusiva

Promessa de campanha do prefeito eleito Alex de Freitas (PSDB), a melhora do transporte coletivo e conseqüente implantação do projeto BRT em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, promete sair do ponto e acirrar a operação das linhas de ônibus do município com a terceira maior população de Minas Gerais.

Celebrado em junho de 2006 com validade de 10 anos, o atual contrato de concessão expirou em junho passado e foi prorrogado. Mas uma nova licitação, prevista para o segundo semestre deste ano, exigirá a renovação da frota e instalação de ar-condicionado nos ônibus.

Inicialmente previsto para ser licitado ainda em 2015, o projeto do BRT de Contagem, que funcionará integrado ao Move Metropolitano, foi revisado e segundo a TransCon, adaptado ao novo contrato.

Atualmente dois consórcios dividem a operação das 48 linhas de ônibus de Contagem: Consórcio Norte (formado pelas empresas São Gonçalo, Nossa Senhora da Boa Viagem, do grupo Transmoreira; Riacho, do grupo Transimão; e Novo Retiro) e Consórcio Sul (Turilessa, do grupo Saritur; Laguna Auto Ônibus, Transimão e Transvia, do grupo São Gonçalo).

Questionada se o novo edital restringirá o número de empresas de ônibus, a Autarquia Municipal de Trânsito e Transportes se limitou a dizer que “está sendo estudada a maior viabilidade econômica e operacional”.

321 ônibus municipais transportam uma média de 2.635.756 passageiros ao mês em Contagem. O valor da tarifa é de R$ 4,05, o mesmo cobrado na maior parte das linhas de Belo Horizonte.

Bruno Freitas/Faixa Exclusiva Oito empresas de ônibus operam as linhas de Contagem
Bruno Freitas/Faixa Exclusiva Oito empresas de ônibus operam as linhas de Contagem

JOGO DURO Durante o movimento ‘Licitação Já’, ainda como presidente do Instituto Teotônio Vilela (ITV) de Contagem, Alex de Freitas chegou a denunciar a existência de um possível cartel entre as empresas de ônibus na cidade.

“Existem sérios indícios de que contrapartidas e condicionantes previstas em contrato para as empresas de ônibus não foram cumpridas, além da suspeita de formação de cartel e direcionamento de licitação que está sendo investigada pelo próprio Ministério Público”, declarou Alex de Freitas, ao dar entrada em representação na 7ª Promotoria de Defesa do Patrimônio Público para verificar a legalidade da prorrogação dos contratos de concessão.

4 comentários para “Contagem terá licitação no segundo semestre e ar-condicionado na frota

  1. eu não concordo com os valores cobrados de R$4,05 na região metropolitana, ônibus velhos, sem conforto, sem internet Wi, é só abrir concorrência internacional que o preço baixa até R$,270 para determinados percursos e R$3,20 para maiores percursos. Estas empresas estão viciadas e muito próxima de pessoas com influência em governos do executivo e legislativo.

  2. Contagem possui hoje a tarifa de transporte urbano mais cara de Minas Gerais, todavia, um precário atendimento à população é prestado pelo cartel de empresários de transporte que dominam as licitações em Contagem a pelo menos duas décadas. Infelizmente, o que veremos é o “senhor” prefeito descumprir mais uma promessa de campanha – tal como a não cobrança do IPTU – e se alinhar de forma escusa às empresas de ônibus para lesar a população contagense mais uma vez. É somente pensarmos nos gastos de campanha do prefeito eleito, somente de doação foram 500 mil reais – ver: http://divulgacandcontas.tse.jus.br/divulga/#/candidato/2016/2/43710/130000031247. Quando vejo uma notícia como essa não tem como pensarmos qualquer outra coisa!

  3. E absurda a situacao dos nossos onibus e o valor da passagem. E ridiculo as condicoes o descaso com os funcionarios, com os passageiros. Condicoes desumanas de trabalho. Motoristas sendo cobradores desempenhando duas funcoes e com o salario de uma so. Sobrecarregados maltratados. Passageiros jogados as tracas. Onibus caindo aos pedacos e a passagem absurda. Mais respeito seja com o trabalhador da empresa seja com o passagwiro que enche o bolso deles.

  4. O valor da passagem é similar aos dos ônibus de BH, porém, em Contagem aboliram o trocador, ou seja, o ganho das empresas é muito maior, sabendo que o custo com mão de obra é o mais alto em qualquer empresa. Isso para prestar um serviço de péssima qualidade e ainda de forma insegura para os usuários. Os lucros dessas empresas certamente cresceram absurdamente depois dessa medida e com o recente reajuste.
    É sobre isso que o novo prefeito deveria ter tomado providências urgentes! Não é só de ônibus melhores que precisamos, é essencial também segurança e preço justo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*