Cartão da RMBH ganha 1 mil pontos de venda; expansão inclui novas máquinas de recarga

Publicado em Sem categoria
Juarez Rodrigues/EM/D.A Press - 6/11/2008
Juarez Rodrigues/EM/D.A Press – 6/11/2008

 

Usuários do transporte coletivo metropolitano da Grande BH já podem adquirir o cartão eletrônico de embarque Ótimo em cerca de 1 mil bancas de jornais e revistas de 34 municípios que cercam a capital mineira. A expansão inclui a instalação de novas máquinas de recarga em estações e terminais da Região Metropolitana – os locais serão divulgados em breve, de acordo com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros Metropolitano (Sintram). Desde que a bilhetagem eletrônica foi implantada nos ônibus metropolitanos em 2008, eram 88 os pontos de venda, além das lojas do Consórcio Ótimo, responsável pela operação, nos bairros Floresta, Savassi e na Rua Tupinambás, no Centro de Belo Horizonte. Para resolver a ausência de integração entre os ônibus metropolitanos e urbanos de Belo Horizonte, a Setop prepara para breve um pacto com diretrizes definidas entre as partes.

A expansão, justifica o Sintram, busca facilitar a aquisição do cartão identificado, usado atualmente por 260 mil usuários. Uma forma de combate à fraude no uso do cartão, um dos entraves da bilhetagem na RMBH. Além de muitos usuários não usarem corretamente o cartão, pessoal e intransferível, outra falha do sistema é a cobrança duplicada da tarifa em casos de embarque numa segunda ou terceira linha de ônibus. A meta final do sindicato mantenedor do Ótimo é eliminar o pagamento em dinheiro, totalizando cerca de 6 milhões de novos usuários ao sistema.

 

Cristina Horta/EM/D.A Press - 22/04/2009
Até então, cartão era oferecido em 88 pontos de venda e lojas do consórcio Foto: Cristina Horta/EM/D.A Press – 22/04/2009

O cartão oferecido nos novos pontos de venda é o Ótimo Cidadão Não Identificado, a R$ 15 (dos quais R$ 10 são créditos para viagens), cuja compra deve ser feita em dinheiro. Para fazer a transferência do cartão para a categoria Cidadão Identificado, é preciso fazer um cadastro no site otimoonline.com.br. A recarga também pode ser feita na internet. Caso haja perda, roubo ou extravio, a identificação permite recuperar os créditos inseridos no cartão numa segunda via. Porém, exige-se uma primeira recarga de no mínimo R$ 45.

Com o cartão pode-se embarcar em um ou mais ônibus e o metrô de forma integrada, pagando menos do que em dinheiro. Se o usuário habitualmente arca com uma tarifa de R$ 10 em uma primeira viagem e R$ 5 na segunda em dinheiro, com o uso do cartão ele desembolsa R$ 12,50 – economia de R$ 2,50.

Integração entre sistemas Entretanto, o desconto do Ótimo é possível apenas em linhas convencionais metropolitanas, do Move Metropolitano e do metrô. Ou seja: não é possível utilizá-lo nas linhas urbanas de Belo Horizonte (cartão BHBus), e vice-versa. Para resolver o histórico entrave, a Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop) prepara para breve a divulgação de um pacto entre as partes com diretrizes definidas. A bilhetagem única entre os sistemas, segundo o órgão, empaca por diferenças tecnológicas. Mas na visão da atual gestão da Setop, é possível começar a resolvê-la. Perguntando sobre o assunto, o Sintram desconversa, e diz apenas que a integração está em estudo.

 

Cristina Horta/EM/D.A Press - 22/04/2009
Bilhetagem eletrônica substituiu o vale-transporte de forma gradativa Foto: Cristina Horta/EM/D.A Press – 22/04/2009

PASSAGEIROS DE ÔNIBUS NA RMBH

26,7
milhões transportados/mês

71,26%
utilizam o cartão

28,74%
recorrem ao pagamento em dinheiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*