Proler: um comitê a serviço da leitura

Publicado em Sem categoria

Katia Pino é escritora carioca e tem um grande trabalho com oficina literária em escolas públicas, além de dedicar um importante trabalho ao Comitê Proler, que desenvolve atividades de incentivo à leitura.

 

Com três livros publicados e várias atividades literárias pelo Brasil, a escritora Kátia Pino se dedica ao trabalhoIMG_5842 no Comitê PROLER Paquetá, Rio de Janeiro. O comitê nasceu do Termo de Parceria firmado entre a Academia de Artes, Ciências e Letras da Ilha de Paquetá (AACLIP) e a então coordenação do PROLER, a Fundação Biblioteca Nacional, em 2013. Em 2014, a coordenação do Programa Nacional de Incentivo à Cultura (PROLER) retornou para o Ministério da Cultura (MinC).

“O trabalho do Comitê é, justamente, desenvolver atividades promotoras de incentivo à leitura. Também é uma de suas atribuições a formação e o aperfeiçoamento de promotores de leitura. Mas, cada Comitê tem um perfil diferenciado, de acordo com a sua área de abrangência. O nosso está localizado na Ilha de Paquetá, bairro atípico do município do Rio de Janeiro; atendemos aos alunos das Escolas Municipais: Joaquim Manoel de Macedo e Pedro Bruno, aos leitores da Biblioteca Escolar Municipal Joaquim Manoel de Macedo e moradores em geral. Os Membros do Comitê são: eu (coordenadora), a diretora da Biblioteca (Rosangela Fernandes), a Presidente da AACLIP (Vânia Barboza) e o Sr. Wilson Alves (empresário e acadêmico)”, explica.

“O Comitê entende que a leitura não se faz só nos livros (ou similares ou afins). Ela também está presente nas artes plásticas. Como a maioria dos jovens e crianças têm dificuldades para se locomoverem ao continente, por motivos financeiros e pelos horários das barcas, procuramos levar até eles também as artes (pintura e escultura) para que desenvolvam um olhar crítico e possam compreender que uma obra de arte é uma leitura do mundo ao nosso redor. É uma leitura do artista, mas que eles podem aprender a traduzir essa leitura e tirarem suas próprias conclusões”, completa.

Desde sua fundação já realizou diversas atividades: Exposição de Artes e Literatura, palestra sobre Literatura de Cordel, Roda de Leitura (sobre o escritor Vivaldo Coaracy), Oficina de Aldravias, Mesa Redonda sobre produção literária em e sobre Paquetá, participações em eventos de parceiros, oficinas literárias e de arte, dentre muitas outras.

Oficinas

As oficinas de Katia Pinno são ministradas em diversos locais: escolas, bibliotecas, bienais do livro, feiras literárias, ou qualquer outro local que as pessoas tenham interesse, sendo que o tema e a estrutura variam de acordo com o público-alvo. Nas Bienais e Feiras do livro já realizou contação de histórias para crianças, palestras e Oficinas Literárias sobre contos e crônicas. Em bibliotecas já realizou oficinas literárias sobre contos, crônicas, poesias, contos de fada, voltadas ao público jovem e adulto. As Oficinas Literárias têm a duração de 1 hora e meia em média, sendo que há uma parte teórica, onde apresenta a estrutura (seja do conto, da crônica, da poesia ou do conto de fadas), características, funções e, após essa parte, há um tempo para a criação de um pequeno texto pelos participantes e a leitura dos mesmos.

“A gratuidade ou não das Oficinas varia de acordo com o local. Em geral são gratuitas ao público, sendo que em muitos casos, sou contratada para ministrá-las. Algumas faço como forma de adesão; é o caso da Campanha da Paixão de Ler. Há ainda o trabalho voluntariado que realizo na minha localidade, nas Escolas Municipais e na Biblioteca Escolar do bairro, em iniciativa particular ou pelo Comitê PROLER Paquetá”, explica a escritora.

As oficinas também podem ser direcionadas para os profissionais de educação. “Quando a Oficina é voltada ao público de profissionais, o objetivo é instrumentalizar a pessoa que irá trabalhar com as crianças e jovens. O profissional só não pode esquecer que a leitura deve ser uma atividade prazerosa para as crianças e jovens”, lembra.

lili estrela do marA escritora

Katia Pinno é psicóloga e escritora carioca, membro da Academia de Artes, Ciências e Letras da Ilha de Paquetá (AACLIP) e da Associação Profissional de Poetas no Estado do Rio de Janeiro (APPERJ). Estreou na fantasia infantil em 2007, com o livro “Lili, a estrela do mar”. A publicação ganhou o prêmio Adolfo Aizen 2008, da União Brasileira de Escritores do Rio de Janeiro (UBE-RJ), e o título “Melhores de 2010”, conferido pelo Congresso da Sociedade de Cultura Latina, categoria Infanto Juvenil. “Comecei minha carreira como escritora a partir da publicação, em 2007, do meu primeiro livro, ‘Lili a Estrela do Mar’. Eu escrevi o texto quando tinha 16 anos”.

O livro conta a história de Lili, uma estrela do mar insatisfeita com a vida que leva e, por isso, recorre à ajuda do Mago das Profundezas para realizar seu maior sonho: ir para o céu, ser uma ‘Star’. Ao chegar, Lili descobre outra realidade e, começa a refletir: qual o caminho que pode nos levar à verdadeira felicidade? O que é realmente importante na vida?

Além do lúdico, a autora passeia por vários gêneros literários. Sua experiência no universo das crônicas e da poesia aconteceu em 2009, com a publicação do livro “Sou Mulher”, dialogando com a intrínseca alma feminina. Seu último livro, “À deriva e outros contos”, foi lançado em 2015 e reúne histórias, memórias e emoções. Hoje, dedica-se também à formação de novos leitores e escritores, ministrando palestras em feiras literárias pelo Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*