Astro da NBA perdeu US$ 100 mi e trabalha hoje como atendente do Starbucks

Publicado em
Álcool, fama e notas de dólares em excesso costumam ser uma combinação bastante explosiva. De Allen Iverson a Adriano Imperador, de Myke Tyson a Mané Garrincha, a lista de atletas que tiveram a carreira arruinada ou interrompida por exageros é bastante extensa e acaba de ter mais um ilustre integrante revelado: Vin Baker, quatro vezes eleito para o All Star Game, campeão mundial e medalha de ouro com o Dream Team em Sydney’2000. O pivô, de 43 anos e 2,11m, torrou quase 100 milhões de dólares (só de salários) que recebeu em 13 anos na NBA. 
Hoje, lutando contra o alcoolismo, Baker trabalha como atendente em uma loja do Starbucks, em North Kingstown, Rhode Island, nos Estados Unidos. “Tenho que olhar a lição e mostrar que posso avançar. Se uso minha figura pública da maneira correta, as pessoas valorizarão o que este homem está fazendo para voltar a viver”, afirmou ao jornal local Providence, que revelou a história nesta segunda-feira (27). 
Se você acompanhou a nba nos Anos 1990 – década do boom da liga no Brasil –, subitamente você teve uma quedinha (uma simpatia, ao menos) pelo Seattle Supersonics. E se lembra de astros como Shawn Kemp, Gary Payton e – claro – Vin Baker, que defendeu Milwaukee Bucks (1993-1997) e Sonics (1997-2002), além de Celtics, Knicks, Rockets até se aposentar no Clippers, em 2006, aos 36 anos.
Desde antes da aposentadoria, o alcoolismo começou a arruinar a vida de Baker, um forte pivô de 2,11m, eleito quatro vezes para o Jogo das Estrelas. Em entrevista ao New York Daily News, em 2013, ele já havia revelado que o álcool passou a fazer parte da sua vida no início dos anos 2000. E que isso o fazia viver uma “vida dupla”. A princípio, não atrapalhava o desempenho, mas se agravou à medida que a idade avançava. Chegou ao recorde de 21 double-doubles em 35 partidas, em 2004, mas as brigas com o então treinador do Celtics o fez rescindir contrato. O motivo: o vício descontrolado do pivô.
A sucessão de desgraças veio depois de parar de jogar, em 2006. No ano seguinte, foi preso em Norwich, no estado de Connecticut, por dirigir bêbado. Em 2008, teve uma casa de 930m² posta à venda para saldar dívidas bancárias e foi à falência como dono de restaurante. 
Aos 43, recém-casado e pai de quatro filhos, Baker luta para se manter sóbrio. “Quando você aprende lições em sua vida, não importa a situação econômica, o mais importante é se reerguer. Eu era alcoólatra, perdi toda a fortuna. Tinha um grande talento e também o perdi.  Quem está de fora pode me olhar e dizer: ‘uau’. Para mim, tenho 43 anos e quatro filhos e devo seguir adiante”, afirmou Baker ao jornal. 
Foto: Dan Levine/AFP 28/4/2002

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *