Skip to main content
 -
Dra. Bruna Andrade, Advogada, Empreendedora, Palestrante e Escritora! Mestre em Proteção dos Direitos Fundamentais, Especialista em Direito Homoafetivo e de Gênero. Co-fundadora e C.E.O. da startup Bicha da Justiça.

Retrospectiva 2018: conquistas de direitos pelos LGBTI+ (parte 2)

Apesar do enorme retrocesso com as eleições de 2018, a comunidade LGBTI+ continua resistindo… Cada vez mais unida e forte! Trazemos as principais conquistas de direitos em uma retrospectiva 2018. Confira a continuação do post anterior:

 

Candidaturas e parlamentares LGBTI+ cresceram 386% nas eleições de 2018

Um levantamento da organização Aliança Nacional LGBTI+ mostrou que, ao menos entre os candidatos da eleição de 2018, a diversidade de gênero e a diversidade sexual aumentaram exponencialmente… Na contramão de uma bancada que vinha sendo, até então, em sua maioria conservadora entre os parlamentares. Esse crescimento vem aparecendo desde 2014 em 386,4% – mirando em cargos legislativos, principalmente deputados federais e estaduais.

A pesquisa retrata que mais de 20% desses candidatos estão no PSOL, assim como 16% no PT e 13% no PCdoB.

 

Aumentou a corrida para casamentos LGBTI+ após a vitória de Bolsonaro

Após a vitória de Jair Bolsonaro, uma onda de solidariedade entre os brasileiros proporcionaram casamentos coletivos por todo o país – com doação de serviços e dinheiro para viabilizar os eventos. O presidente de comissão da OAB fala em risco de perda de direitos da comunidade LGBTI+ com a posse do atual presidente. A pressa em consolidar a união foi um ato diferencial na história do Brasil.

Segundo a Associação dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen), que reúne dados dos registros civis feitos em cartórios do país, houve aumento de 25% nos casamentos de LGBTs no Brasil de janeiro a outubro de 2018.

 

O número de empresas comprometidas com a diversidade aumentou

Número de empresas que contratam pessoas trans cresceu 300%. Apesar de a inserção no mercado de trabalho pela população LGBTI+ ser pequena, os transexuais e transgêneros passaram a receber novas oportunidades de emprego.

Tudo isso foi resultado de um crescimento de 300% em relação a quatro anos, de acordo com a Transempregos. A plataforma digital presta consultoria e auxilia pessoas trans a ingressarem  no ambiente de trabalho… Dando novas perspectivas, oportunidades e retirando-as da marginalidade.

 

Preconceito no ambiente de trabalho gera dano moral

Aumentaram no último ano as condenações na justiça brasileira ao pagamento de indenização por dano moral, em virtude de LGBTfobia, nas relações de emprego e consumo. Um dos propósitos notórios do Direito do Trabalho se sustenta na proteção aos direitos da personalidade do trabalhador, na condição de dignidade de exercer o trabalho. Independente da sua orientação sexual e/ou identidade de gênero.

Toda a luta da comunidade LGBTI+ teve efeito na redução da violação moral no ambiente de trabalho. Isso resultou em um aumento crescente no número de condenações por LGBTfobia.

 

Feliz 2019! Seguimos na luta. Vamos por mais!!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *